O filme Avatar e as exoluas

Ontem fui ao cinema com minha filha de 9 anos para asssistir o filme Avatar, que tem atraído muito o interesse de crianças, jovens e adultos.
As ações do filme se passam em Pandora, uma lua do planeta Polyphemus, existente apenas na ficção, e que estaria situado no Sistema da estrela Alpha Centauri, a mais próxima de nós, a aproximadamente 4,5 anos-luz de distância.
Logo após assistir o filme, li um artigo interessante sobre a possibilidade de existência de luas habitáveis como Pandora. A íntegra do artigo traduzido do site Space.com, pelo amigo Roca, foi disponibilizada em seu belo site, Eternos Aprendizes.

Apesar de luas habitáveis como Pandora serem produtos da ficção científica, algumas prováveis exoluas (luas fora do Sistema Solar) semelhantes à Pandora, talvez ainda nesta década já poderão ser identificadas e estudadas.

Os planetas gigantes gasosos do nosso Sistema Solar, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno têm luas rochosas, e se o mesmo acontecesse com alguns exoplanetas, haveria uma grande possibilidade de termos muitas exoluas habitáveis.
Uma vez detectada a exolua, o primeiro passo seria determinar se ela tem atmosfera. A nossa Lua, por exemplo, por ser muito pequena, não tem atmosfera, ao contrário de Titan, uma das luas de Saturno.
O segundo passo seria descobrir se a exolua tem magnetosfera para protegê-la das correntes de partículas de sua estrela e da radiação de seu planeta. Caso não tivesse, a atmosfera poderia ser desfeita ao ser "soprada" para fora por essas correntes.

A maioria dos exoplanetas descobertos até agora são maiores do que Júpiter, o planeta de maior massa no nosso Sistema Solar, mas o interessante é que grandes planetas devem ter luas grandes também, o que significa que elas podem ter atmosfera. Seria possível que um gigante gasoso tivesse várias luas, com habitats que poderiam ser muito estranhos e fascinantes, tais como os de Pandora.
Compartilhe: