LHC

O LHC (Large Hadron Collider) que viveu momentos de fama ao ser inaugurado em setembro de 2008, voltou a funcionar só agora, dia 20 de novembro de 2009.

No ano passado, logo após a tão aguardada inauguração, o acelerador apresentou vazamento de gás do sistema de resfriamento, o que forçou o atraso de 14 meses até a retomada de suas atividades. Na época, lembro-me que alguns alunos meus foram atraídos pelo assunto, e se interessaram em aprender um pouco da física de partículas, para tentar entender melhor o que seria o bóson de Higgs, que teoricamente forneceria massa às outras. O fato de ter atraído, e continuar atraindo a atenção de mais pessoas para os assuntos relacionados à Física, já seria motivo de minha torcida para que, daqui em diante tudo dê certo, e não sejam necessárias novas interrupções nas pesquisas.

A maior polêmica foi criada no ano passado, por determinadas pessoas que não queriam permitir que o LHC entrasse em funcionamento, pois alegavam que as experiências no acelerador, ao serem colocadas em prática, poderiam produzir um Buraco Negro, que sugaria rapidamente toda a matéria e energia próximas a ele.
Sorte nossa que os maiores físicos da atualidade, tais como Stephen Hawking conseguiram explicar à comunidade internacional, de forma elegante, segura e convincente, que o tal Buraco Negro realmente poderia ser formado, mas seria tão pequeno, e duraria tão pouco tempo que não reuniria forças suficientes para provocar a anunciada catástrofe.

O LHC foi projetado para colidir partículas umas contra as outras quase à velocidade da luz. O choque das partículas simula as condições após a explosão que deu origem ao universo, segundo a famosa teoria do Big Bang, permitindo assim que os físicos tentem decifrar o que se passava nos momentos iniciais da criação.

Ainda há uma longa estrada a percorrer, mas de qualquer forma, acho que temos que comemorar a retomada das atividades do acelerador, e torcer para que sejam feitas muitas novas descobertas.

Stephen Hawking, o mesmo que defendeu o início dos trabalhos no LHC, afirma que seria "mais interessante" se o bóson de Higgs não fosse descoberto, porque isso levaria a uma revisão profunda da Física, e inclusive chegou a apostar 100 libras inglesas, que a partícula não seria encontrada. Este é o verdadeiro espírito da Ciência: Verificar se uma determinada teoria pode ser confirmada ou não, através de experimentos e observações.
Compartilhe: