Vantagem de uma foto em preto e branco em Marte

Dias atrás eu estava lendo alguns artigos aqui na internet sobre assuntos que gosto, e uma matéria me chamou a atenção, sobre o achado de uma curiosa pedra em Marte, no formato de pirâmide (foto), encontrada pelo jipe Curiosity. Em determinado trecho da matéria, eles explicam o motivo de a foto ter sido tirada em preto e branco, sendo que a NASA, se quisesse, para chamar ainda mais a atenção do público, poderia ter divulgado uma foto colorida e muito mais bonita. Acontece que este tipo de foto utilizada pode revelar alguns detalhes que as coloridas não forneceriam. Vejam este trecho da matéria:

" Elas são em preto em branco para poderem oferecer a máxima resolução possível dentro do espectro visível e essa resolução só pode ser obtida atualmente com CCDs especialmente projetados para isso." 

Foto de um CCD sensível ao Ultravioleta.
CCD
Neste artigo da Wikipedia (em inglês), encontrei uma explicação super detalhada do CCD = Charge-Coupled Device, que traduz-se por Dispositivo de Carga Acoplada. Trata-se de um componente indispensável às câmeras digitais que a maioria de nós faz uso hoje em dia. Eu diria, bem simplificadamente, que a sua função é fazer com que a mensagem enviada pelos fótons (luz) recebidos em uma pequena placa receptora acumulem elétrons em maior ou menor quantidade, o que definirá a imagem digitalizada; Algo muito semelhante ao efeito fotoelétrico, que rendeu a Einstein o Prêmio Nobel de Física de 1921 (*).

Os CCDs desenvolvidos para obter imagens coloridas utilizam o padrão RGB (Red, Green, Blue) que, por exemplo, estão presentes no monitor de nossos computadores, e que são os responsáveis pela definição de todas as cores que aparecem na tela. Note pela figura ao lado que há maior quantidade de verde, pois o olho humano é mais sensível à esta cor do que ao vermelho ou azul.
Muitas vezes a NASA opta por tirar fotos usando um CCD "mais simples", que capta apenas em preto e branco, no entanto, outras definições da imagem podem ser obtidas, e que com certeza, neste caso, foram mais relevantes do que as cores para o estudo daquela pedra piramidal marciana. 
Acredito que como sempre, esta foto deve ter suscitado especulações das pessoas que adoram ficar imaginando se este não seria um provável objeto deixado por alguma antiga civilização marciana.


(*) Sim, caro leitor, apesar do que muitos ainda possam pensar, e por uma certa ironia da história, Einstein não ganhou o prêmio pela Teoria da Relatividade, mas pelo detalhamento na explicaçao do efeito fotoelétrico, que hoje em dia é aplicado na geração de energia elétrica diretamente a partir do Sol, nas chamadas células fotovoltaicas.
Compartilhe:

6 comentários:

  1. Olá, Jairo!!!!

    Ainda bem, que essa pedra é de pequenas dimensões, pois, se fosse do tamanho de uma pirâmide dessas que foram construídas aqui na Terra, aí sim... diriam... "tá vendo??? Somos os descendentes dos marcianos"!!!!

    Muito boa a explicação sobre o CCD e também, sobe o fato como se deu a premiação do prêmio Nobel de física para o Albert Einstein!!!!

    UM abraço!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Professor Valdir:
    A pedra tem um formato muito interessante.
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Depois que li seu post, fui procurar outras referências na net, e Valdir, já tem gente falando sobre a existência de alienígenas (não que eu não acredite). Mas tem uma história interessante sobre o nome dado à pedra:

    A NASA deu o nome de Jake Matijevic, pela pedra se parecer com a pirâmide de Gisé, em honra a Jacob Matijevic (1947-2012), que era engenheiro chefe das operações de superfície do Projeto Mars Science Laboratory e do projeto Curiosity.

    Obrigado pelo artigo Jairo, sei o quanto a falta de tempo compromete as postagens, mas o importante é trazer algo interessante, mesmo assim de vez em quando.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  4. @Kleber:
    Obrigado pela preciosa colaboração nas informações complementares sobre a pirâmide marciana e o nome dado a ela. Gostei.

    Estou aproveitando os sábados, que é a única horinha que dá para eu escrever sobre algum assunto interessante aqui, e assim vamos "tocando" o blog.
    Abraço, amigo.

    ResponderExcluir
  5. Vejo que está na mesma correria de final de ano, Jairo. ;)

    Excelente artigo, caro amigo.

    Abraços.

    P.S.: Ainda vem mais por aí: estão aperfeiçoando o sensor CMOS - que é melhor em termos de custo/benefício. ;)

    Cavalcanti

    ResponderExcluir
  6. @Cavalcanti:
    Mais uma vez devo agradecê-lo pela visita e pelo comentário elogioso.

    Estou na correria mesmo, amigo.

    Vamos aguardar mais imagens do CMOS do Curiosity.
    Abraço

    ResponderExcluir

Os comentários são moderados pelo autor do blog.
Se quiser receber comentários futuros deste post pelo seu e-mail, clique na opção "Notifique-me"