Os neutrinos e a teoria da relatividade

O assunto que dominou o noticiário científico da semana passada foi a divulgação de um experimento no qual as partículas chamadas neutrinos teriam "voado" a uma velocidade um pouco maior do que a da luz no vácuo.
O que chamou muito a atenção foi que, se este fato for confirmado, estaria contrariando um dos principais postulados da Teoria da Relatividade Especial, formulada há mais de cem anos por Einstein.

A maioria das autoridades neste assunto acha que ainda é muito cedo para concluir alguma coisa. Devemos então esperar que experiências futuras possam confirmar - ou não - o ocorrido, e se realmente os neutrinos insistirem em se mostrar mais "apressadinhos" do que a luz, pode ser que seja mesmo necessária uma profunda revisão na física de partículas subatômicas.

Neutrinos
Os neutrinos atravessam paredes e também o nosso corpo. Não têm carga elétrica, mas têm pequena massa, e intrigam os físicos desde os anos 60. Agora aparentemente ousam desafiar uma teoria que tem se mostrado correta ao longo de um século.
A formação de neutrinos acontece em diversos processos de desintegração. A maioria dos neutrinos que chegam à Terra em grande quantidade são provenientes do Sol, e surgem no momento em que o  hidrogênio é convertido em hélio, durante o processo conhecido como fusão nuclear, que ocorre a todo momento no interior da nossa estrela. Calcula-se que neste exato instante você leitor que está lendo este texto esteja sendo atravessado por mais de 50 trilhões deles, que passam através do seu corpo a cada segundo !
Mas isso não nos afeta?
Não, justamente pelo fato de que eles não têm carga elétrica, e são na verdade muito pequenos e com massa quase nula. Veja que eu grifei o quase, pois justamente neste ponto é que está a questão polêmica sobre a Teoria da Relatividade (TR). É que a partir do momento em que a partícula tem massa, segundo a TR, ela jamais poderia atingir a velocidade igual à da luz. Muito menos, maior.

Vamos aguardar nos próximos anos, para ver se as experiências confirmam os resultados. Pelo que eu li até agora, se tivesse que apostar, acho que ainda descobrirão algum erro sistemático nas medidas de tempo obtidas, e aí tudo continuará como está.

Fontes:
1 - A fisica se move. Neutrinos mais velozes do que a luz: A reação dos cientistas
Compartilhe:

4 comentários:

  1. Olá, Jairo!

    Com essa, o Albert Einstein não contava e pode ver que já ficou andando torto na bicicleta, kkkkkkkkkkkk!

    Ficou muito boa, a postagem e foi legal as indicações dos links que você deu.

    Parabéns, parceiro! Continue assim, aliás... se vai mesmo participar do carnaval da UBM edição de #7, aviso que o prazo de inscrições termina no dia 12/10/2011. Aparece por lá, sim?

    Um abraço!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Boa Noite Jairo...

    Meu nome é Jonathan, e sou amigo do Valdir. Ele me falou sobre você e adorei seu blog. Sempre mando e-mails para o Valdir, para debatermos sobre a ciência. Espero que possamos fazer o mesmo.

    Aqui vai meu e-mail: j.quartuccio@yahoo.com.br

    Aliás, estamos falando sobre neutrinos em nossos e-mails.

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Ok, Jonathan.
    Será um prazer conversar sobre ciências com vocês. Obrigado pela visita. Fico contente que tenha gostado do meu blog.
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Olá Jairo,
    Eu acredito que uma nova Física venha em breve para explicar tais fenômenos e outros que o homem ainda desconhece. Pois segundo a lei de Einstein, nenhum corpo se desloca numa velocidade maior ou igual à da luz. Pois bem, há corpos celestes que estão a milhares de anos-luz da Terra. Como haveria viagens intergaláticas com a física que conhecemos hoje? Vamos aguardar um posicionamento dessas experiências.

    Um abraço!

    ResponderExcluir

Os comentários são moderados pelo autor do blog.
Se quiser receber comentários futuros deste post pelo seu e-mail, clique na opção "Notifique-me"